Campanha convida foliões a ficarem de olho

Aulas suspensas, crianças sozinhas, maior exposição à violência. Além disso, pela grande movimentação de turistas, tanto brasileiros quanto estrangeiros, os casos de exploração, abuso sexual e tráfico de jovens também é alarmante neste período.

A tradição de entrega das chaves das cidades ao Rei Momo durante o carnaval ainda perdura em muitos lugares e é usada para justificar o “vale tudo” nos dias de festa. A marchinha diz: “ninguém pode proibir, quando chega o carnaval”, mas não é bem assim… É por conta desta ideia de liberdade sem restrições que o número de crianças abusadas e exploradas sexualmente aumenta significativamente durante esta época.

Segundo apuração no canal Disque100, os números apontam que 17,4% de todas as denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes realizadas no ano foram feitas só no período do carnaval.

Tendo em vista este cenário, o Instituto Liberta lançou a campanha “Sexo com crianças: está na hora de acabar com esse carnaval”, que busca convocar os foliões a prestarem atenção às crianças e adolescentes durante a festa e protege-las de violências. Com uma média 398 violações por dia, segundo dados do Ministério Público Federal, o Brasil sofre com a subnotificação deste crime que atinge todo o país.

Queremos que a diversão continue a entusiasmar o povo brasileiro, só não pode ser com a violação de direitos de meninos e meninas. 

A sensibilização e atuação da população são importantes para que as denúncias sejam feitas e para que mais crianças e adolescentes possam ficar protegidos de algo que está longe de ser apenas uma brincadeira de Carnaval. 

#fiquedeolho #todeolho #disque100

<VOLTAR