O Seminário “Exploração Sexual Infantil – Reflexão e Reação”, teve painéis de conversas e premiou professores vencedores do concurso promovido

Instituto Liberta, em parceria com a Secretária Estadual de Educação e a Columbia Global Centers, sediou o Seminário “Exploração Sexual Infantil – Reflexão e Reação, que premiou seis projetos de professores da rede e teve painéis de conversas

Aconteceu dia 23 de novembro, no Unibes Cultural, o primeiro Seminário sediado pelo Instituto Liberta em que reuniu professores da Universidade de Columbia, líderes de organizações internacionais de proteção à criança e membros dos setores privado e público brasileiro para compartilhar experiências e discutir as melhores práticas na prevenção e resposta a casos de exploração sexual.

Ao longo do dia, temas como a importância da educação para prevenção, redes de proteção e casos internacionais foram abordados por convidados especialistas. A exploração de crianças e adolescentes é uma questão global e sendo um dos problemas mais sérios e hediondos derivados da desigualdade social e da pobreza, provou ser um desafio para o governo brasileiro e para as instituições sociais que trabalham para seu combate.

Num primeiro painel, pela manhã, falaram sobre a Importância da educação para Prevenção, Andrea Dip, Repórter Especial – Agência Pública de Jornalismo Investigativo, Flavio Debique, Gerente de Estratégias de Programas, Plan International, Sandra Maria Fodra, Responsável pelo Projeto Mediação Escolar e Comunitária, e Stephanie Blattler, Gerente de Compliance do Grupo Eleva.

Na sequência, o painel Prevenção e Reação: Casos internacionais, trouxe falas muito importantes de Mark Canavera, Diretor, Care and Protection of Children (CPC) Learning Network – Columbia University, Emilia Bretan, Independent Consultant – International Institute for Child Rights & Development, Elaina Mack, Engagement and Evaluation Director – International Institute for Child Rights and Development, Founder – ChildThrive.

Fechando a sequência de painéis e falas, Fabíola Sucasas Negrão Covas, Promotora do Grupo de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher – Ministério Público do Estado de São Paulo, Luciana Bergamo, Promotora de Infância e da Juventude para o Setor de Interesses Difusos e Coletivos – Ministério Público do Estado de São Paulo, falaram sobre as Redes de Proteção e marcaram a importância que elas têm num caso de abuso, exploração ou violência doméstica.

A Secretaria Estadual de Educação de São Paulo compartilhou sua experiência do ponto de vista governamental e do fantástico trabalho que vem fazendo com o Instituto Liberta para tratar do assunto com as comunidades escolares.

Por fim, o tão esperado anuncio dos professores vencedores do concurso promovido pelo Instituto Liberta, em parceria com a Columbia Global Centers | O Rio de Janeiro e a Secretaria Estadual de São Paulo. As vencedoras são:
Bruna Danielle Guimarães com o projeto “Anjos do Sol”.

Livia Aparecida Alves com o projeto “Anjos do Sol”.

Daniela Aparecida Guedes de Paula com seu projeto de formação de redes.

Giovana Penha com o seu Relatório “Bia”.

Maria Elisabete Fernandes com o seu Relatório “Bia”.

Sandra de Fátima Tonon com o seu projeto de rede “IntegrAÇÃO de Piraju”.

<VOLTAR