Você conhece a palavra sexting?

É a junção da palavra sex (sexo) + texting (texto). Trocando em miúdos, é um fenômeno no qual os adolescentes e jovens usam redes sociais, aplicativos e dispositivos móveis para produzir e compartilhar imagens de nudez e sexo. Também pode envolver mensagens de texto ou vídeos eróticos com convites e insinuações sexuais para namorado(a), pretendentes e/ou amigos(as).

De acordo com material publicado pela SaferNet Brasil, associação civil sem fins lucrativos que trabalha na garantia e promoção dos direitos humanos na Internet, o uso da tecnologia pode favorecer uma exposição maior do que a presencial. Isso porque diante do computador ou do celular, as crianças e adolescentes nem sempre percebem a dimensão do perigo ao compartilhar uma foto ou um vídeo, muitas vezes em situações provocantes ou mesmo explícitas.

Cabe aos pais e educadores alertar crianças e adolescentes sobre os perigos de postar imagens na web.

O que é preocupante no sexting não é a prática em si, mas sim o que pode acontecer depois. Imagens de sexo e nudez têm efeito viral, rapidamente se distribui e pode parar em sites de pornografia adulta, inclusive no exterior. Sempre é bom lembrar que essas imagens podem cair na mão de exploradores ou abusadores e o estrago está feito. De acordo com o Art. 241 do Estatuto da Criança e Adolescente, considera-se crime produzir, vender, divulgar e armazenar fotografias ou imagens pornográficas e de sexo explícito de menores de 18 anos.

Disque 100 ou acesse o hotsite da SaferNet que já contabiliza mais de 3,8 milhões de denúncias.

Para saber mais sobre o tema, acesse: http://liberta.org.br/perigo-na-web/

<VOLTAR